Notícias Mundo

O Facebook toma medidas contra “uma dúzia de desinformações” sob pressão da Casa Branca

Ao fazer essa declaração, Monika Bickert, vice-presidente de política de conteúdo do Facebook, rejeitou a narrativa de que doze contas foram as principais responsáveis ​​por espalhar a desinformação da vacina, escrevendo que focar nelas “deixa de lado a floresta para as árvores”.

Mas Bickert disse: “Qualquer quantidade de desinformação sobre a vacina COVID-19 que viole nossas políticas é muito para nossos padrões – e removemos mais de três dezenas de páginas do Facebook ou Instagram, grupos e contas vinculadas a essas 12 pessoas, incluindo pelo menos um associado a cada uma das 12 pessoas por violar nossas políticas. “

Bickert acrescentou que o Facebook “também multou quase duas dúzias de sites, grupos ou contas adicionais associados a essas 12 pessoas” e “multou alguns de seus domínios de internet”.

“Tinnas da desinformação” foi inicialmente identificada em março pela organização sem fins lucrativos Center for Countering Digital Hate, que chamou o Facebook (pensão completa) para fechar sites operados por essas pessoas.

A Casa Branca aproveitou este relatório e acertou a plataforma em julho para permitir que aqueles identificados no relatório permanecessem em sua plataforma.

“Há cerca de 12 pessoas que produzem 65% da desinformação da vacina nas plataformas de mídia social”, disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, na época.

Na quarta-feira, após a ação do Facebook contra “uma dúzia de desinformações”, um porta-voz da Casa Branca continuou a criticar duramente a empresa.

“No meio de uma pandemia, ser honesto e transparente sobre o trabalho que precisa ser feito para proteger a saúde pública é absolutamente essencial, mas o Facebook ainda se recusa a ser explícito sobre quanta desinformação está circulando – e é ativamente promovida – em sua plataforma “, disse ele. O porta-voz da CNN Business para a Casa Branca.

A Casa Branca aumenta a pressão sobre as dezenas de desinformações de Covid da Big Tech;

“Cabe a todos acertar para que possamos garantir que os americanos recebam informações precisas para proteger a si próprios e a seus entes queridos – portanto, o governo continuará a pressionar os líderes, a mídia e as principais fontes de notícias como o Facebook para atender a essas expectativas essenciais. “- acrescentou o porta-voz.

O Facebook disse em julho que tomou algumas medidas contra sites vinculados a “uma dúzia de informações incorretas”. Mas a empresa não deu mais detalhes na época.

O Facebook ainda não removeu todas as contas associadas ao grupo.

Bickert disse quarta-feira que “as contas restantes vinculadas a esses indivíduos não estão postando conteúdo que viola nossas políticas, eles apenas postaram uma pequena quantidade de conteúdo infrator que removemos ou estão simplesmente inativos”.

Uma das páginas que não foi removida pertencia a Robert F. Kennedy Jr., um proeminente ativista antivacinas que já havia sido removido do Instagram do Facebook, mas não do Facebook.

Na época, um porta-voz do Facebook disse à CNN: “Não desativamos contas automaticamente em nossos aplicativos porque as contas podem postar coisas diferentes em nossos diferentes serviços.”

Leave a Comment