Brasil

Mulheres são condenadas por danos morais após acusarem motorista de tentar dopá-las

Duas mulheres que alegaram terem sido vítimas de uma tentativa de intoxicação por um motorista de aplicativo foram condenadas pela Justiça de São Paulo a pagar R$ 20 mil por danos morais ao profissional. As informações são do G1.

A acusação ocorreu em novembro de 2021, quando o motorista ofereceu a uma delas álcool com essência de canela para higiene das mãos. Após iniciar a corrida, ela disse que precisava passar em uma farmácia e pediu para ele parar o veículo. Ao descer, a mulher fez fotos do carro.

Em seguida, o profissional tomou conhecimento de que a passageira tinha feito um falso alerta nas redes sociais afirmando que ele queria dopá-la.

O motorista foi à Delegacia da Mulher, entregou uma amostra do produto oferecido à mulher para perícia. Na unidade policial, ele soube que outra passageira havia prestado queixa contra ele.

LAUDO PROVOU SER ÁLCOOL ETÍLICO
Segundo a juíza Andrea Aparecida Nogueira Amaral Roman, da 2ª Vara do Juizado Especial Cível de Santos, o laudo do Instituto de Criminalística (IC) identificou que o produto era álcool etílico.

Na decisão, a magistrada entendeu que o motorista teve a reputação, dignidade e honra ofendidas, uma vez que os fatos imputados a ele não são verídicos.

“Isso porque publicaram postagem no Facebook narrando que o autor teria cometido fatos criminosos contra a mulher, que como acima relatado, não restou comprovado, vez que o laudo do Instituto de Criminalística fulminou as versões das requeridas”.

Leave a Comment