Notícias Mundo

Ben & Jerry’s vai parar de vender sorvete nos Territórios Palestinos

No entanto, nos últimos anos, a marca foi testada para relações em Israel, à medida que as tensões aumentaram na região.

A empresa sediada em Vermont alinhou-se com objetivos liberais, incluindo redirecionar alguns fundos para departamentos de polícia e investir “esse dinheiro em soluções baseadas na comunidade que promovam a verdadeira saúde, paz e segurança”, disse o comunicado de junho de 2020. A empresa pediu aos Estados Unidos Afirma o fim da supremacia branca e lançou um podcast sobre racismo na América no ano passado. Em dezembro de 2020, a Ben & Jerry’s revelou um sabor de sorvete sem laticínios inspirado em Colin Kaepernick chamado “Change the Whirled”.

Fãs acusaram a empresa de fazer negócios em Israel – especialmente em bairros da Cisjordânia considerados ilegais pela lei internacional – argumentando que ela discorda da imagem liberal de Ben & Jerry.

A empresa ficou em silêncio sobre isso. Em 2015, a Ben & Jerry’s publicou em seu site que “está bem ciente de como o mercado local pode ser complexo” e acredita que pode gerar mudanças positivas mantendo uma presença na região.

Mas a Ben & Jerry’s mudou de idéia na segunda-feira, dizendo que ouviu e reconheceu as preocupações dos fãs e parceiros.

A Ben & Jerry’s disse que informou seu licenciado em Israel que seu contrato não será renovado quando expirar no final de 2022. Após este tempo, o Ben & Jerry’s não será mais vendido nos Territórios Palestinos. O sorvete da empresa, no entanto, continuará a ser vendido em Israel “por meio de outro acordo”, disse Ben & Jerry’s, observando que informará os clientes sobre esses detalhes no futuro.

Políticos israelenses criticaram a decisão da marca de sorvete. O novo primeiro-ministro do país, Naftali Bennett, disse que a Ben & Jerry’s optou por se autodenominar “sorvete anti-Israel”.

Ayelet Shaked, Ministro do Interior de Israel, tweetou seu desdém pela decisão de Ben & Jerry de segunda-feira.

“Seu sorvete não combina com nosso gosto”, disse ela. “Nós podemos fazer sem você.”

As relações entre israelenses e palestinos estão repletas de conflitos, e algumas disputas surgem sobre quem se estabeleceu nesta terra há milhares de anos. O direito internacional considera que Jerusalém Oriental, a Cisjordânia, as Colinas de Golã e Gaza são territórios ocupados sob as resoluções do Conselho de Segurança da ONU, embora esta caracterização seja questionada por Israel.

Leave a Comment