Tecnologia

Telefones celulares e telas mantêm seu bebê acordado

Nova pesquisa mostra que, para crianças e adolescentes, o uso de telefones celulares, tablets e computadores à noite está associado à perda do tempo e da qualidade do sono. Mesmo as crianças que não usam seus telefones ou outra tecnologia bagunçando seus quartos à noite perdem a consciência de seus olhos e ficam propensas à sonolência diurna, de acordo com uma análise publicada hoje na JAMA Pediatrics.

A análise mostrou “um padrão consistente de operação em muitos países e condições”, disse o Dr. Ben Carter, principal autor e conferencista sênior em bioestatística no King’s College London.

Carter e seus colegas pesquisaram a literatura médica para identificar centenas de estudos relevantes conduzidos entre 1º de janeiro de 2011 e 15 de junho de 2015. Eles selecionaram 20 relatórios de estudo com um total de 125.198 crianças igualmente divididas por gênero, com idade média de 14 anos e meio. Depois de extrair os dados relevantes, Carter e seus co-autores conduziram sua própria meta-análise.

Poucos pais ficarão surpresos com os resultados: a equipe encontrou uma “ligação forte e consistente” entre o uso de dispositivos multimídia na hora de dormir e sono insuficiente, má qualidade do sono e sonolência diurna excessiva.

Surpreendentemente, Carter e sua equipe descobriram que as crianças que não usavam seus dispositivos em seus quartos ainda tinham sono interrompido e provavelmente tinham os mesmos problemas. As luzes e sons emitidos pela tecnologia, assim como o conteúdo em si, podem ser muito estimulantes.

Embora Carter admita que a fraqueza da análise foi “a maneira como os dados foram coletados na pesquisa primária: autoestima de pais e filhos”, muitos de nós provavelmente reconheceremos os hábitos de nossa família refletidos nas estatísticas.

Quarto eletrônico

Uma pesquisa em grande escala conduzida nos Estados Unidos pela National Sleep Foundation (PDF) constatou em 2013 que 72% de todas as crianças e 89% dos adolescentes têm pelo menos um dispositivo em seu ambiente de sono. A maior parte dessa tecnologia é utilizada na hora de dormir, conforme consta no mesmo relatório.

De acordo com Carter e seus co-autores, essa tecnologia onipresente afeta negativamente o sono das crianças, atrasando seu sono quando terminam de assistir a um filme ou de jogar outro jogo.

Os pesquisadores explicam que a luz emitida por esses aparelhos também pode afetar o ritmo circadiano, o relógio interno que sincroniza processos biológicos, incluindo temperatura corporal e liberação de hormônios. Um hormônio específico, a melatonina, causa fadiga e contribui para a sincronização dos nossos ciclos de sono e vigília. Luzes eletrônicas podem atrasar a liberação de melatonina, interrompendo esse ciclo e tornando mais difícil adormecer.

Até que ponto a hora de dormir cedo pode ter um efeito duradouro nos bebês?

Carter e seus co-autores também sugerem que o conteúdo online pode ser psicologicamente estimulante e impedir que crianças e adolescentes caiam no sono depois de uma hora, quando desligam seus aparelhos e tentam dormir.

“O sono é fundamental para as crianças”, disse o Dr. Sujay Kansagra, diretor do programa de neurologia pediátrica de medicina do sono do Duke University Medical Center, que não participou da nova análise. “Sabemos que o sono desempenha um papel fundamental no desenvolvimento do cérebro, memória, autorregulação, atenção, função imunológica, saúde cardiovascular e muito mais.”

Kansagra, autor de “My Baby Will Not Sleep”, observou que o período de maior desenvolvimento do cérebro ocorre nos primeiros três anos de vida, que corresponde a quando mais precisamos e dormimos. “É difícil acreditar que seria uma coincidência.”

Kansagra disse que é possível que os pais subestimem o número de crianças que usam seus dispositivos à noite, mas é mais provável que a tecnologia esteja simplesmente interferindo na higiene do sono. “Por exemplo, as crianças que têm permissão para manter os dispositivos em seus quartos podem evitar uma boa rotina de sono, que sabemos ser útil para adormecer”, disse ele.

Praticar uma boa higiene do sono

O Dr. Neil Kline, representante da American Sleep Association, concorda que o sono desempenha um papel fundamental no desenvolvimento saudável de uma criança, embora “não conheçamos toda a ciência por trás disso. entre o TDAH e alguns distúrbios do sono ”.

De muitas maneiras, os resultados do novo estudo não são nenhuma surpresa. “A tecnologia tem um impacto significativo na higiene do sono, especialmente na adolescência”, disse Kline, que baseia sua opinião não apenas em pesquisas, mas também em sua própria “experiência pessoal, bem como nas anedotas de muitos outros especialistas em sono”.

Higiene do sono – dicas para facilitar um sono bom, contínuo e adequado – cubra um cômodo silencioso. “E isso significaria remover itens que interferem no sono, incluindo eletrônicos, TVs e até mesmo animais de estimação se eles interferirem no sono”, disse Kline.
Mais uma dica importante vem da National Sleep Foundation, que recomenda pelo menos 30 minutos de “caminhada sem gadgets” antes de dormir. Desligue para dormir melhor.

Outras recomendações para uma boa higiene do sono incluem não se exercitar (física ou mentalmente) muito perto da hora de dormir; estabelecer um horário regular de sono; limitar a exposição à luz antes de deitar; evitar estimulantes como álcool, cafeína e nicotina horas antes de deitar; e criando um ambiente de sono escuro, confortável e repousante.

Leave a Comment