Novas

Coreia do Norte diz que há “tendência positiva” na epidemia de Covid, mas não tem resposta à oferta de ajuda de Biden

A Agência Central de Informações da Coreia (KCNA) disse que houve 186.090 novos casos, 299.180 recuperações e uma morte de sexta a sábado.

Se for verdade, esse número seria um declínio acentuado – na semana passada, o país registrou mais de 200.000 casos do que descreve como “casos de febre”, após uma epidemia que infectou mais de 2,5 milhões de pessoas e matou 67, segundo dados oficiais. figuras.

No entanto, dada a falta de relatórios independentes na Coreia do Norte, os dados são difíceis de verificar e há muito tempo há um ceticismo generalizado sobre os relatórios de Covid do país.

Antes da epidemia atual ser anunciada no início deste mês, a Coreia do Norte afirmava estar livre de Covid. O país de 25 milhões de habitantes relatou os primeiros casos no início deste mês, referindo-se ao surto como “explosivo”, levantando preocupações sobre sua capacidade de lidar com a infraestrutura de saúde em declínio do país.

A Coreia do Norte não importou vacinas contra o coronavírus e já havia descartado ofertas como a da China no ano passado para fornecer quase três milhões de doses de injeções de Sinovac.

Três aviões de carga norte-coreanos voaram de e para a China na segunda-feira, de acordo com um funcionário do governo sul-coreano que conhece o caso. Não se sabe o que os aviões estavam transportando, mas a rara viagem ocorreu depois que a China se comprometeu a ajudar a Coreia do Norte com a epidemia de Covid.

O presidente dos EUA, Joe Biden, que atualmente está visitando a Coreia do Sul em sua primeira viagem à Ásia, disse no sábado que os EUA também se ofereceram para fornecer vacinas à Coreia do Norte, mas Pyongyang não respondeu.

Um alto funcionário do governo dos EUA disse no domingo que as restrições da Covid podem desempenhar um papel na falta de resposta de Pyongyan às ofertas de negociações, informou a Reuters.

Alguns analistas sugeriram que a súbita abertura de Pyongyang às questões do Covid pode ter sido influenciada pelo tempo de viagem de Biden e seu encontro com o novo presidente sul-coreano, Yoon Suk Yeol.

“O fato de Kim Jong Un ter escolhido sair e anunciar publicamente esta crise de saúde é bastante revelador”, disse Lina Yoon, pesquisadora coreana sênior da Human Rights Watch, à CNN. “(Isso) pode, é claro, ter um elemento político.”

A mídia estatal norte-coreana diz que a epidemia atingiu mais de 390.000 novos casos na segunda-feira. Depois de mostrar “crescimento rápido para começar”, diz ele, a epidemia está diminuindo, “após controle e gerenciamento estáveis”.

Entre as atividades atribuídas pela KCNA estão “esforços intensivos de desinfecção” de quase 200.000 trabalhadores médicos e antiepidêmicos em aproximadamente 100.000 locais em todo o país, incluindo estações de tratamento de resíduos e águas residuais.

Ele também disse que médicos militares foram enviados a 670 farmácias em Pyongyang para entregar medicamentos 24 horas por dia, e “cerca de 20 centros de serviços médicos temporários móveis” foram criados para distribuir medicamentos “com mais rapidez e precisão”.

Os problemas atuais da Coreia do Norte não se limitam ao surto. Também houve sugestões de que está lidando com a escassez generalizada de alimentos, causada em parte por bloqueios de fronteira apertados projetados para conter o vírus.

Leave a Comment